Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

ptenfres
Início > Notícias > Projeto do NUMA é certificado no Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social
Início do conteúdo da página

Projeto do NUMA é certificado no Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social

Publicado: Terça, 23 Julho 2019 09:15 | Acessos: 123
imagem sem descrição.

O projeto Tecnologia Social: Formação de Agentes de Inovação Socioambiental (TS-AGIS) do Núcleo de Meio Ambiente da Universidade Federal do Pará (NUMA/UFPA) obteve certificação na décima edição do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social. A iniciativa promove a troca de experiências entre agricultores, pesquisadores, estudantes e extensionistas, baseadas na prática agroecológica em torno da produção orgânica e da segurança alimentar. O projeto é um dos sete da região Norte do Brasil a ser certificado na premiação em 2019.

O objetivo do projeto é formar agentes de inovação socioambiental para o fortalecimento das populações nos locais de atuação. Além disso, busca reafirmar o conhecimento agroecológico e as inovações sociotécnicas, de forma a estimular a participação de todos na construção de sistemas de agricultura sustentável. Assim, trata-se de um processo de aprendizagem mútua, no qual não há “ciência feita" e sim ciência em "ação-construção".

“Podemos dizer que a TS-AGIS, ao mesmo tempo em que proporciona ‘reflexão-na-ação’, caminha pari passu (no mesmo ritmo) com a experiência social das famílias camponesas, se constituindo em um instrumento metodológico de reforço das capacidades de ação local e de empoderamento dessas populações,” afirma o professor Aquiles Simões, coordenador do projeto. Ele conta que o projeto é a primeira experiência da UFPA de formação de quadros com características de intervenção socioambiental certificada como Tecnologia Social.

A TS-AGIS é um curso de especialização. Os profissionais que participam passam por um processo de seleção em que o principal critério é a motivação e capacidade de engajamento na construção do conhecimento interdisciplinar voltado para o fortalecimento da população rural. Esses profissionais são provenientes de qualquer área do conhecimento e devem possuir diploma de graduação reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC)               .

Entre as cidades paraenses onde a tecnologia social já foi implementada, estão Abaetetuba, Acará, Barcarena, Cametá, Igarapé-Miri, Mocajuba e Tailândia. Em muitas destas, várias comunidades já foram impactadas pelas ações do projeto. O público-alvo da TS é composto por agricultores familiares, alunos do Ensino Superior, crianças, jovens, lideranças comunitárias, pescadores, povos tradicionais, etc.

Resultados - A TS formou 70 profissionais em nível de pós-graduação lato sensu para atuar como Agente de Inovação-Intervenção Socioambiental (AGIS). Cada profissional produziu uma monografia a partir de saberes constituídos na interface entre o saber popular e o saber científico. Além disso, o projeto também desenvolveu pesquisas e soluções ecológicas para ajudar a solucionar o problema da falta de água potável, formulou planos de ações de desenvolvimento sustentável, elaborou cartilhas sobre segurança alimentar e nutricional para divulgação em escolas, promoveu a visibilidade do trabalho de artesãs e pequenas produtoras, trabalhou para a valorização da cultura quilombola, com a produção do CD dos cantos da simbolada, entre diversas outras ações.

Parcerias - O projeto contou com o apoio da Pró-Reitoria de Extensão (Proex/UFPA) para a criação e consolidação da TS-AGIS no âmbito dos Programas de Extensão Universitária do Ministério da Educação (PROEXTs/MEC) e para o reforço desse tipo de ação nos campi do interior. Além disso, o acolhimento da TS-AGIS no NUMA no seio do Programa de Formação Interdisciplinar em Meio Ambiente (PROFIMA), em interação com o Programa de Pós-graduação em Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia (PPGEDAM), serviu como um nicho fértil para a aplicação da iniciativa.

Sobre o Prêmio - Criado em 2001 e realizado bienalmente, o Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social é o principal instrumento de identificação e certificação de tecnologias sociais que compõem o Banco de Tecnologias Sociais (BTS). É destinado a entidades sem fins lucrativos, como Instituições de ensino e de pesquisa, Fundações, Cooperativas, Organizações da sociedade civil e órgãos governamentais de Direito Público ou Privado, legalmente constituídas no Brasil e nos países da América Latina.

O BTS - O Banco de Tecnologias Sociais é uma base de dados on-line que reúne atualmente 1.110 metodologias certificadas por solucionarem problemas comuns às diversas comunidades brasileiras nas áreas de: Alimentação, Educação, Energia, Habitação, Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Renda, Saúde. Acesse aqui para conhecer mais.

Para o professor Aquiles Simões, a certificação da TS-AGIS e consequente integração ao BTS “coroa todo o investimento feito pelo Grupo de Estudos Diversidade Socioagroambiental na Amazônia (GEDAF) na formação de quadros e construção de competências para o desenvolvimento rural que tem sido realizado desde 2012. Abre também maiores possibilidades de continuidade desse tipo de ação diante do cenário atual.”

Mais detalhes sobre o projeto Tecnologia Social: Formação de Agentes de Inovação Socioambiental (TS-AGIS) podem ser conferidas no site da Fundação BB, aqui.

Texto: Adams Mercês - Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Divulgação

registrado em:
Fim do conteúdo da página

Today 7

Yesterday 53

Week 7

Month 2150

All 61351

Currently are 16 guests and no members online

Kubik-Rubik Joomla! Extensions